- PUBLICIDADE -
13.6 C
Distrito Federal
- PUBLICIDADE -

Ponto facultativo é marcado por grande procura pela segunda dose de reforço

Nesta sexta-feira (17), a procura pela imunização contra a covid-19 foi intensa nas 77 salas de vacinação disponibilizadas pela Secretaria de Saúde. Apesar do ponto facultativo no Governo do Distrito Federal (GDF), o serviço não parou. Às 17h, só na Unidade Básica de Saúde (UBS) da Asa Sul, 1.215 pessoas já tinham sido imunizadas. A oferta é de todos os tipos de imunizantes: Coronavac, AstraZeneca, Pfizer e Janssen.

“Vacina boa é vacina no braço. Estou muito feliz que a população está atendendo o nosso apelo para completar o ciclo vacinal, pois só assim conseguiremos conter o aparecimento de casos mais graves”, afirmou a secretária de Saúde, Lucilene Florêncio. Ainda no início da manhã, para reforçar a demanda da região norte e reduzir filas, foram abertos mais três pontos de vacinação: UBS 2 de Planaltina, UBS 5 de Planaltina e UBS 1 de Sobradinho II.

A oferta é de todos os tipos de imunizantes: Coronavac, AstraZeneca, Pfizer e Janssen | Fotos: Sandro Araújo/Agência Saúde

Na UBS 1 do Guará, ao longo do dia, foram aplicadas 927 doses. A enfermeira Samara Lins destacou a procura para a dose de reforço de pessoas na faixa etária acima dos 40 anos. “Não paramos nem no horário de almoço”, completou.

Profissional da área de saúde, Maria Célia Marçal, 40 anos, comemorou ao receber sua segunda dose de reforço. “Estou muito feliz com a oportunidade, não via a hora de abrir a vacinação para a minha faixa etária. A vacina é a esperança de acabar com essa pandemia. Infelizmente, não conseguimos mudar o pensamento das outras pessoas, então devemos fazer a nossa parte”, ressaltou.

Para Cristiano Porfírio, a ampliação da vacina dá mais segurança

Para o jornalista Cristiano Porfírio, 49 anos, a ampliação da vacina dá mais segurança. “Estou feliz em vacinar, pois é a única forma de me proteger”, reforçou.

Na UBS 1 da Asa Sul, a procura também foi intensa. A servidora pública Flávia Guimarães, de 45 anos, estava radiante. “Eu estava na expectativa de tomar este reforço. A melhor alternativa é a vacina. Vemos resultados com a vacina no número de internados, que caiu imensamente após o início da vacinação”, frisou.

Melhor estratégia

De acordo com o coordenador de Atenção Primária à Saúde, Fernando Erick Damasceno, a vacinação é a estratégia principal para conter a atual situação sanitária no mundo. “O vírus ainda é algo muito novo para a ciência. Mas já percebemos que há uma queda na imunidade após o sexto ou oitavo mês pós-vacinação, percebido principalmente com o avanço da idade, ou seja, entre os idosos”, destacou.

Damasceno ressaltou, ainda, que a utilização da primeira e segunda dose de reforço tem sido a estratégia mais eficiente. Inclusive, a Secretaria de Saúde buscou ampliar o acesso da campanha de vacinação contra a covid-19 com a priorização da escala de profissionais para intensificar os serviços de vacinação, disponibilizada em feriados e finais de semana.

Reforço para adolescentes

Desde o dia 30 de maio, os adolescentes a partir de 12 anos já podem tomar a dose de reforço ou terceira dose. No Distrito Federal, são 268.474 adolescentes nessa faixa etária, de 12 a 17 anos.

A servidora pública Flávia diz: “A melhor alternativa é a vacina”

A imunização para este público-alvo é feita com a vacina Pfizer, preferencialmente, ou com a Coronavac. Como o objetivo de reduzir o número de casos, a pasta convida a população para se sensibilizar com a imunização dos adolescentes, que estão circulando diariamente nas escolas do DF.

*Com informações da Secretaria de Saúde

Fonte: Agência Brasília

- PUBLICIDADE -

Continue Lendo

Comentários

- PUBLICIDADE -

Últimas Notícias

- PUBLICIDADE -