- PUBLICIDADE -
- PUBLICIDADE -
24.6 C
Distrito Federal
- PUBLICIDADE -

Equipes de Saúde aplicam mais de 3,6 mil doses contra a dengue no DF

O primeiro dia de vacinação contra a dengue no DF teve grande adesão. Foram 3.633 doses aplicadas em todos os 15 pontos disponíveis para imunização, espalhados por regiões de saúde da capital.

Mais de 3,6 mil doses foram aplicadas no primeiro dia de vacinação contra a dengue no DF. E as aplicações seguem durante o feriado de carnaval, inclusive sábado (10) e domingo (11) | Foto: Paulo H. Carvalho/Agência Brasília

Para a coordenadora de Atenção Primária à Saúde, Sandra Araújo, o resultado foi muito satisfatório. “ Estamos muito satisfeitos, agradecemos todo o apoio da população que aderiu à campanha e dos servidores, que se mobilizaram para atender a demanda. São mais de 3,6 mil crianças protegidas contra a doença”, disse.

As aplicações seguem durante o feriado de carnaval, inclusive sábado (10) e domingo (11). A lista completa com os endereços e horários está disponível no site da Secretaria de Saúde (SES-DF). Para se vacinar, é preciso que a criança esteja acompanhada do responsável, com documento de identificação e o cartão de vacina.

Os profissionais de saúde orientaram sobre as indicações e contraindicações da vacina e solicitaram os documentos necessários | Foto: Ualisson Noronha/Agência Saúde-DF

Região de Saúde Central

A Região de Saúde Central, que compreende Asa Sul, Asa Norte, Cruzeiro, Lago Norte, Varjão e Vila Planalto, registrou o maior número de doses aplicadas, totalizando 657 aplicações. Só na Unidade Básica de Saúde (UBS) 2 da Asa Norte, foram 587 crianças imunizadas. O estudante Brian Brás, 10, foi uma delas. Ele venceu o medo e recebeu, nesta sexta-feira (9), a primeira dose da vacina. A imunização iniciou focada em crianças na faixa etária de 10 a 11 anos (11 anos, 11 meses e 29 dias).

Marília Brás, 35, mãe de Brian, declarou sentir felicidade pela vacinação liberada às crianças. A moradora do Plano Piloto teve dengue e os sintomas a assustaram. “Achei tão bom a vacina ter chegado ao SUS (Sistema Único de Saúde), principalmente porque estamos em uma epidemia de dengue. A sensação é de alívio, mas sei que se a população não se conscientizar, não vamos conseguir combater o mosquito”, declarou.

A vacinação na UBS 2 da Asa Norte começou pontualmente às 7h e, de acordo com a gerente da unidade, Lauanda Amorim, o clima foi de tranquilidade. Os profissionais de saúde orientaram sobre as indicações e contraindicações da vacina e solicitaram os documentos necessários.

Região de Saúde Oeste

É praticamente uma tradição familiar. Sempre que chega um dia de algum filho se vacinar, a cabeleireira Fabiana Soares, 30, arruma a criança e leva à UBS 16 do Sol Nascente. E hoje (9) não foi diferente. Logo na primeira oportunidade, ela levou a filha, Ketelen Vitória Soares, 11, para receber a vacina contra a dengue. “Sempre trago no primeiro dia, desde que ela era pequena”, revela a mãe. Já a menina está quase convencida da importância disso. “Eu não queria tomar porque dói, mas eu sei que é importante”, diz.

Jorge Miguel Alves, de 10 anos, corajoso, nem ligou para a picadinda da agulha | Foto: Sandro Araújo/Agência Saúde-DF

A seis quilômetros dali, a UBS 3 de Ceilândia contava com cerca de 50 crianças na fila. O tempo de espera, contudo, foi curto, graças ao esforço dos servidores SES-DF. “Quando vimos a quantidade de gente, mudamos o planejamento para atender mais rápido”, afirma a gerente da unidade, Sandra Silva.

Nem a espera e nem a agulha tiraram a animação do Arthur Torquato, de 11 anos. “Eu preferia ter ficado em casa, mas foi de boa”, avalia. Pai do menino, o contador David Torquato, 35, disse ter achado importante poder proteger o filho contra a dengue. “Lá onde moramos estão tendo muitos casos, então vi a importância da vacina”, diz.

A Região de Saúde Oeste, que engloba as Regiões Administrativas (RAs) de Brazlândia e Ceilândia, fechou o dia com 616 aplicações do imunizante.

Região de Saúde Leste

Composta por Paranoá, Itapoã, São Sebastião, Jardim Botânico e Jardins Mangueiral, a Região de Saúde Leste totalizou a aplicação de 246 doses de vacinas no primeiro dia de campanha.

Com uma manhã movimentada, a UBS 3 do Paranoá já havia vacinado 70 crianças até o início da tarde | Foto: Sandro Araújo/Agência Saúde-DF

No Paranoá, a manhã na UBS 3 foi movimentada, com mais de 70 crianças imunizadas até o início da tarde. Ansioso, Caio Levi Lisboa Ferreira Leite, 10, aguardava a sua vez. “Estou com um pouco de medo. Vou chorar. Talvez”, contou. Arlete Lisboa, mãe de Caio, por outro lado, estava animada com a oportunidade. “Fico feliz não só por ele, mas por todas as outras crianças”. Apesar do medo, Caio não chorou e saiu satisfeito porque o procedimento foi rápido.

Perto de Caio, estava Jorge Miguel Alves, 10. “Espero que não doa!”, desejou. Se doeu, Jorge não demonstrou. Corajoso, nem ligou para a picadinha da agulha.

Segundo a supervisora de Atenção Primária da UBS 3 do Paranoá, Marina Weizenmann, a adesão foi grande. A unidade irá aplicar doses contra a dengue também no feriado de carnaval.

Balanço

A Região de Saúde Centro-Sul – Candangolândia, Estrutural, Guará, Park Way, Núcleo Bandeirante, Riacho Fundo I, Riacho Fundo II, Setor de Indústria e Abastecimento (SIA) e Setor Complementar de Indústria e Abastecimento (SCIA) – imunizou 753 crianças.

Já a região de saúde Norte, que compreende as RAs de Planaltina, Sobradinho, Sobradinho II e Fercal, fechou o dia com aplicação de 320 doses. Gama e Santa Maria, que integram a Região de Saúde Sul, imunizaram 275 crianças, no total. Por fim, a Região de Saúde Sudoeste – Águas Claras, Recanto das Emas, Samambaia, Taguatinga e Vicente Pires – fechou o dia com 466 doses aplicadas.

Quem não pode tomar

Crianças que estão com dengue ou com sintomas sugestivos da doença devem aguardar seis meses para o recebimento da primeira dose. Outros públicos não indicados para receber a dose são: pessoas que possuam alergia a outros imunizantes; imunossuprimidos (imunidade baixa); e gestantes ou em período de amamentação.

Um aspecto também importante é que vacinas vivas atenuadas não podem ser aplicadas junto com a da dengue, necessitando de um intervalo de 30 dias entre cada. “Então quem recebeu, por exemplo, a tríplice viral, varicela, febre amarela nos últimos 30 dias não pode receber a primeira dose da dengue”, explicou Amorim.

*Com informações da SES-DF

Fonte: Agência Brasília

- PUBLICIDADE -

Continue Lendo

Comentários

- PUBLICIDADE -

Últimas Notícias

- PUBLICIDADE -