Home Distrito Federal Feira da Goiaba começa nesta sexta (5) em Brazlândia

Feira da Goiaba começa nesta sexta (5) em Brazlândia

0
Feira da Goiaba começa nesta sexta (5) em Brazlândia

A 9ª edição da Feira da Goiaba começa nesta sexta-feira (5), a partir das 18h, na Associação Rural e Cultural de Alexandre de Gusmão (Arcag), em Brazlândia. O evento celebra a época de colheita da fruta mais cultivada do Distrito Federal e transcorre em dois finais de semana, de 5 a 7 e de 12 a 14 deste mês. Às sextas-feiras, a programação vai das 18h às 22h. Aos sábados e domingos, começa às 10h e segue até as 22h – depois desse horário, a festa continua com a apresentação de shows artísticos que vão até 2h da manhã.

Em sua 9ª edição, a Feira da Goiaba anima o final de semana em Brazlândia com apresentação de quatro variedades da fruta, plantas, artesanato, shows e encontros técnicos | Fotos: Divulgação/ Emater-DF

No evento, o público encontrará 36 estandes no Empório da Goiaba, onde é possível adquirir a fruta in natura e derivados, como doces e geleias. Também haverá o Galpão do Artesanato e o Espaço da Florabraz, com 30 estandes comercializando diversas plantas. No estande institucional da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Distrito Federal (Emater-DF), localizado no Empório da Goiaba, haverá um plantão técnico para aqueles que quiserem sanar dúvidas sobre a produção ou sobre a fruta.

O mercado consumidor também cresce em função da festa, que proporciona divulgação da agricultura local, do trabalho dos agricultores e também uma programação cultural para o público

Claudinei Machado Vieira, gerente da Emater-DF em Brazlândia

Já para os produtores rurais, a Emater-DF realiza um encontro técnico no dia 11 sobre as goiabas mais plantadas no Brasil e a importância do novo porta-enxerto BRS Guaraçá. A atividade será realizada no escritório da empresa pública em Brazlândia, às 19h. No DF, existem 222 produtores de goiaba, responsáveis por uma produção de 7.070 toneladas da fruta em 2023. Para o gerente da Emater-DF em Brazlândia, Claudinei Machado Vieira, a Feira da Goiaba é um momento de celebração da safra e de incrementar renda dos produtores.

Festa será realiuzada em dois finais de semana, de 5 a 7 e de 12 a 14 de abril

O mercado consumidor também cresce em função da festa, que proporciona divulgação da agricultura local, do trabalho dos agricultores e também uma programação cultural para o público em geral, que tem a oportunidade de ter acesso direto aos produtores, com fruta fresquinha e derivados, diz Claudinei. O evento é promovido pela Arcag em parceria com a Associação Cresce-DF e apoio do Governo do Distrito Federal, por meio da Emater-DF, Secretaria da Turismo (Setur), Administração de Brazlândia e Polícia Militar.

Variedades da goiaba

Os 30 estandes do Empório da Goiaba vão oferecer quatro cultivares  trabalhadas pelos produtores locais – paluma, tailandesa, cortibel e a Pedro Sato, que é a mais produzida na região. Todas são indicadas para o consumo in natura. “A paluma tem maior rendimento de polpa; a Pedro Sato é boa para doces; a cortibel tem como vantagem maior tempo de prateleira, dura mais; e a tailandesa é a maior, chamando mais atenção visualmente”, explica Claudinei.

Os produtores de Brazlândia investem em quatro espécies de goiaba: paluma, tailandesa, cortibel e a Pedro Sato

Conheça as principais variedades de goiaba:

• Paluma – Maior rendimento de polpa, muito utilizada para fazer doces, geleias e licores em geral. Porém, a maturação é muito rápida, o que torna o fruto não muito recomendada para consumo in natura.

• Suprema (Tailandesa) – Variedade que atrai o consumidor pelo tamanho. É muito comum encontrar frutos com 400, 500 e até 800 gramas. Possui uma boa duração de prateleira, agradando bastante o mercado consumidor, mas não é um fruto que tem um grau de brix muito elevado, ou seja, não é muito saboroso.

• Cortibel – Possui um sabor intermediário, bem como tempo de prateleira, que pode chegar a cinco dias. O tamanho médio do fruto também agrada, chegando em média a 300 gramas.

• Pedro Sato – É hoje a variedade mais cultivada no DF e se destaca pelo sabor, sendo o mais recomendado para consumo in natura. Comparado com suprema e cortibel, seus frutos são bem menores, chegando a um peso médio de 150 a 200 gramas.

• Sassaoka – Possui um sabor muito agradável e também um bom tempo de prateleira. O tamanho dos frutos é parecido com o da Pedro Sato, mas o fato de ter a casca muito rugosa pode depreciar o seu valor de mercado.

*Com informações da Emater-DF

Fonte: Agência Brasília