- PUBLICIDADE -
- PUBLICIDADE -
24.6 C
Distrito Federal
- PUBLICIDADE -

Hospital de campanha será instalado no DF para ampliar atendimento à dengue

O enfrentamento à dengue segue ganhando reforço no Distrito Federal. O governo anunciou, nesta quinta-feira (1), novas ações para ampliar o acesso ao atendimento a pessoas com sintomas da doença e para combater os focos do mosquito Aedes aegypti. A principal medida é a instalação do hospital de campanha fortalecendo a rede de saúde pública com cadeiras de hidratação e leitos de internação. Atualmente, o DF conta com 176 unidades básicas de saúde, nove tendas e duas carretas atuando como porta de entrada dos pacientes com sinais como febre, mal-estar e dores no corpo.

“As tendas que instalamos se mostraram muito corretas. Estão tendo uma procura muito efetiva, com 1,5 mil atendimentos por dia, em razão disso, nós ampliamos esse hospital de campanha da Aeronáutica. O hospital vai ser um auxílio fundamental”, definiu o secretário-chefe da Casa Civil, Gustavo Rocha.

O hospital de campanha será montado nos próximos dias e contará com o efetivo, equipamentos e insumos da Aeronáutica. Com funcionamento 24 horas, o espaço vem, principalmente, para aumentar as áreas de fornecimento de hidratação das pessoas com sinais de dengue. São esperados mais de 60 leitos dentro de um módulo grande e único, além de acoplados e tendas, a depender da necessidade.

A medida é mais uma parceria do GDF com o Ministério da Defesa, que também cedeu nos últimos dias 247 militares para atuarem nas ações do governo | Fotos: Tony Oliveira/Agência Brasília

“O que precisamos é de hidratação. Todas as ações visam aumentar a hidratação e diminuir a perda de vidas, considerando o número de casos”, afirmou a secretária de Saúde, Lucilene Florêncio. A expectativa é de que o hospital possa ser instalado em uma área que abarque o maior número de casos. “O local será definido pelo governador. Levaremos em conta os dados epidemiológicos”, explicou.

A medida é mais uma parceria do GDF com o Ministério da Defesa, que também cedeu nos últimos dias 247 militares para atuarem nas ações do governo. Os militares estão nas ruas nas vistorias às casas, como motoristas de fumacê e atuando nas ambulâncias, além de cederem camas de campanha.

Aumento do efetivo e de equipamentos

Para deixar o atendimento médico ainda mais robusto, o governo firmou uma parceria com duas universidades de medicina. A Fundação de Ensino e Pesquisa em Ciências da Saúde (Fepecs), vinculada à Universidade do Distrito Federal (UnDF), e o Centro Universitário de Brasília (Ceub) vão ceder estudantes dos últimos anos do curso para atuarem nas tendas.

O hospital de campanha será montado nos próximos dias e contará com o efetivo, equipamentos e insumos da Aeronáutica

“É uma mão de obra qualificada de alunos que estão no fim do curso que entrarão como voluntários. Estão todos animados em saber como isso vai funcionar. A Secretaria de Saúde (SES-DF) ainda está definindo como os estudantes vão atuar”, revelou Gustavo Rocha.

Reforço também nos UBVs, o chamado fumacê, com a publicação do chamamento para a contratação de mais 10 novas unidades. O objetivo é fazer com que o trabalho dos veículos alcance todas as Regiões Administrativas do DF. Outra área que ganhará mais fortalecimento é de limpeza às ruas, com a determinação da contratação de mais 300 caminhões para auxiliar na retirada de lixos e entulho.

Combate ao descarte irregular de lixo

Outra ação que o governo tem reforçado é o combate aos locais de descarte irregular de lixo e entulho, que são pontos de risco para proliferação do mosquito da dengue. Só em janeiro, o Serviço de Limpeza Urbana retirou 44.315 toneladas e quatro mil pneus em todo o Distrito Federal, o que corresponde a 3.692 caminhões de entulho, além de ter mapeado 58 áreas de lixo irregular para erradicação.

“Esses pontos regularmente recebem entulho. Eles foram mapeados e estamos limpando todos de uma vez. Nosso maior trabalho é plantar as mudas e cercar. Vamos continuar com esse trabalho”, destacou o diretor-presidente do SLU, Silvio de Morais Vieira.

“Temos tido dificuldade, porque alguns moradores insistem em jogar lixo na rua. Por isso, pedimos a consciência da população. Temos 23 papa-entulhos e mais de 600 papa-lixos. Não há motivo para descartar lixo em área pública”, acrescentou Vieira.

Em apenas uma semana de força-tarefa com seis operações, a Secretaria de Estado de Proteção da Ordem Urbanística (DF Legal) aplicou mais de R$ 100 mil em multas por descarte irregular e acúmulo de resíduos provenientes de 111 autos de notificação e 16 autos de infração. Isso é muito para uma semana de trabalho. Então a gente apela para a população para que não joguem seus resíduos em área pública”, pediu o secretário de Proteção da Ordem Urbanística, Cristiano Mangueira de Sousa.

Diariamente, a secretaria conta com sete equipes em sete cidades com a participação de 30 agentes. A partir de sexta-feira (2), a DF Legal intensificará o trabalho atuando em 16 pontos de acúmulo de lixo e entulho. As denúncias continuam podendo ser feitas pelo canal 162 (Ouvidoria) e 199 (Defesa Civil), esse último recebeu só em janeiro 4.426 chamadas.

Novas medidas adotadas pelo GDF para enfrentamento à dengue

– Instalação do hospital de campanha da Aeronáutica
– Atuação de estudantes de medicina como voluntários
– Contratação de 10 novas unidades de fumacê
– Intensificação da força-tarefa de erradicação de lixo

GDF anuncia hospital de campanha e outras medidas de enfrentamento à dengue

Fonte: Agência Brasília

- PUBLICIDADE -

Continue Lendo

Comentários

- PUBLICIDADE -

Últimas Notícias

- PUBLICIDADE -