- PUBLICIDADE -
- PUBLICIDADE -
23.6 C
Distrito Federal
- PUBLICIDADE -

Inaugurada reforma das quadras 3, 4 e 5 do Setor Comercial Sul

O Setor Comercial Sul está de cara nova após a conclusão da reforma das quadras 3, 4 e 5 da região central da capital. Foram investidos cerca de R$ 12 milhões nos serviços de execução de calçadas, recuperação do pavimento no bolsão de estacionamento, remarcação de sinalização viária, paisagismo e implantação de mobiliário urbano. A inauguração da área ocorreu nesta quinta-feira (21) com a presença da vice-governadora do Distrito Federal, Celina Leão.

“Desde o primeiro mandato do governador Ibaneis Rocha, ele teve um olhar muito especial com o centro e várias ações foram feitas aqui”, afirmou a vice-governadora do DF. “Começamos a materializar [o projeto] no mandato passado e avançamos nesse com a urbanização – que é tão importante – a iluminação de LED e outras ações que estão sendo feitas aqui também para revitalizar o centro urbano de Brasília”, completou Celina, em referência à lei sancionada no ano passado que ampliou o número de atividades do setor.

A obra no SCS vai beneficiar as 150 mil pessoas que passam pelo local todos os dias | Foto: Paulo H. Carvalho/ Agência Brasília

A reforma seguiu o mesmo molde adotado nas obras da W3 Sul, do Setor de Rádio e TV Sul e do Setor Hospitalar Sul. O objetivo é beneficiar as 150 mil pessoas que transitam pelo Setor Comercial Sul todos os dias, com mais acessibilidade e mais espaço para circulação e convivência, além de transformar a área para receber as novas atividades de ocupação.

“O Setor Comercial Sul precisa ser abraçado e cuidado, e é isso que a gente vem fazendo nos últimos anos. Ao longo de cinco anos, foram mais de R$ 12 milhões em investimentos para a etapa dessas três quadras. Além disso, tivemos um investimento grande, de cerca de R$ 1,5 milhão, também em iluminação pública, que está toda eficientizada. O Estado está realmente interessado em ressignificar e requalificar o SCS”, destacou o secretário de Obras e Infraestrutura, Luciano Carvalho.

Reestruturação urbana

Entre os benefícios, os estacionamentos e asfaltos ganharam nova sinalização viária horizontal e vertical | Foto: Paulo H. Carvalho/ Agência Brasília

Com a requalificação, todas as calçadas passaram a ter quatro metros aumentando o espaço de travessia de pedestres. Os meios-fios e as lixeiras foram trocados e as bocas de lobo, realocadas. As praças receberam a instalação do piso fulget, que fornece mais aderência e garante a segurança de quem transita ali. Também foram instalados pisos táteis e rampas de acesso para cadeirantes.

Estacionamentos e asfaltos ganharam nova sinalização viária horizontal e vertical. Paraciclos foram implantados no local, onde as bicicletas podem ser guardadas. Nas novas áreas de convivência, há bancos de concreto e um paisagismo com plantio de grama e de árvores ornamentais, que ocupam o que antes era apenas barro.

A próxima etapa da reforma será a extensão dos serviços para as quadras 1, 2 e 6. “Estamos na fase final do projeto e orçamento para depois lançar a licitação da quadra 6. Também daremos continuidade às quadras 1 e 2, seguindo essa bandeira do governador Ibaneis Rocha que tem trabalhado fortemente nos últimos anos na requalificação urbana”, informou Luciano Carvalho.

“Já é um princípio de revolução no Setor Comercial Sul. Aqui é o centro da capital federal e precisa ser realmente um lugar que as pessoas visitem, circulem e se sintam bem”

José Humberto Pires de Araújo, secretário de Governo

O secretário de Governo, José Humberto Pires de Araújo, reforçou que as obras são apenas o começo das mudanças na região. “Já é um princípio de revolução no Setor Comercial Sul. Aqui é o centro da capital federal e precisa ser realmente um lugar que as pessoas visitem, circulem e se sintam bem. Esse é o nosso objetivo. Temos ainda outras mudanças fundamentais, como o uso dos prédios, o acolhimento das pessoas em situação de rua e a questão da segurança, porque é uma região sensível, e queremos que todas as lojas sejam usadas para que seja uma revitalização econômica”, avaliou.

Durante a solenidade, o governo anunciou a transferência da Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação (Secti) para o Setor Comercial Sul. Com a pasta também irão os projetos para levar desenvolvimento tecnológico e digital para a região.

“Estamos em processo de transição para cá. O Estado vem com todos os projetos de tecnologia da secretaria: incubadora de games, design, cidade inteligente e investimentos. Tenho certeza que ano que vem nós estaremos falando do Setor Comercial Sul no Brasil inteiro como exemplo de recuperação de espaço urbano também a partir da ciência e da tecnologia”, anunciou o secretário de Ciência, Tecnologia e Inovação, Leonardo Reisman.

Mais acessibilidade e movimento

O comerciante Severino Vieira comemora: “Essa era uma reforma necessária, porque o povo estava se afastando daqui” | Foto: Joel Rodrigues/ Agência Brasília

O administrador do Plano Piloto, Valdemar Medeiros, destacou que os comerciantes e a população clamavam pela obra há mais de 30 anos para poder melhorar a estrutura e fomentar a economia local. “É uma obra que vem trazer qualidade de vida para as pessoas, fomentar a economia e trazer empregabilidade. Representa uma mudança na nossa economia, porque hoje vamos conseguir trazer mais empresários para a região”, definiu.

Comerciante na região há 35 anos, Severino Vieira lembrou como o espaço era antes da obra. “O Setor Comercial estava abandonado. Essa era uma reforma necessária, porque o povo estava se afastando daqui. Só estava vindo aqui pessoas que eram obrigadas a vir. Se você pegar uma foto de 10 anos atrás, vai ver a diferença. Está totalmente diferente em todos os aspectos”, defendeu.

Solange Soares atua na região como comerciante desde 2008 e escuta há anos promessas de melhorias do SCS, mas só agora elas saíram do papel: “De lá para cá, vi várias tentativas de reforma aqui, algumas que deram certo, outras não. Que bom que o governo está olhando para nós.. Essa melhoria no visual do local vai trazer mais pessoas e estamos precisando que os frequentadores percam o medo de vir”.

O também comerciante Eliezio Alves Batista elogiou a acessibilidade que a obra trouxe aos visitantes do setor. “É um benefício muito grande para os cadeirantes e para pessoas que são mais de idade transitarem em uma calçada de melhor qualidade, onde eles não caiam, como já houve algumas situações aqui”, afirmou.

Fonte: Agência Brasília

- PUBLICIDADE -

Continue Lendo

Comentários

- PUBLICIDADE -

Últimas Notícias

- PUBLICIDADE -