Home Distrito Federal Pediatras da rede pública terão apoio da telemedicina em momento de alta nos casos graves

Pediatras da rede pública terão apoio da telemedicina em momento de alta nos casos graves

0
Pediatras da rede pública terão apoio da telemedicina em momento de alta nos casos graves

O Hospital da Criança de Brasília José Alencar (HCB) dá inicio neste mês de março a ação que tem impacto positivo no atendimento pediátrico do Distrito Federal: médicas intensivistas do HCB atuarão a distância, dando apoio a unidades de pronto atendimento (UPAs) que receberem crianças em estado crítico, em especial casos de Síndrome Respiratória Aguda, cujo número de casos começa a subir. As médicas gestantes, profissionais do Hospital da Criança de Brasília, precisam se afastar do trabalho na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) – mas, em vista do crescente número de casos de doenças respiratórias na faixa pediátrica, elas vão direcionar suas horas de atendimento para o cuidado indireto com outras crianças, atuando no trabalho a distância.

Médicas gestantes do Hospital da Criança de Brasília, vão direcionar suas horas de trabalho para o cuidado indireto com outras crianças, atuando no atendimento a distância | Foto: Divulgação/HCB

A diretora-executiva do HCB, Valdenize Tiziani, conta que esta é a segunda vez que esta ação é realizada. “Em 2023, por ocasião da síndrome respiratória aguda grave, mobilizamos esforços com médicos da UTI, que fizeram mentoria online. É uma espécie de telemedicina entre os pares: especialistas no cuidado crítico do Hospital da Criança de Brasília atuam junto aos profissionais do pronto socorro no apoio à decisão clínica”, explica a diretora, que se reuniu com representantes da Secretaria de Saúde do Distrito Federal (SES/DF) e do Instituto de Gestão Estratégica de Saúde do Distrito Federal (Iges/DF), responsável pelas UPAs, na segunda-feira (18).

No período relatado por Tiziani, a parceria era com o Hospital da Região Leste, – que, na época, recebeu muitas crianças em estado grave. “Tínhamos dificuldade na sedação, no manejo do ventilador. O hospital nos orientou, deu mais segurança e incentivou na busca do conhecimento. A vantagem foi que tivemos melhor manejo das crianças críticas, com menos danos na saúde delas”, diz Lucieny Moreira, médica pediatra do Paranoá (incluído na Região Leste).

A ação terá início nesta terça-feira (19) e atenderá, inicialmente, as UPAs da Ceilândia, Recanto das Emas e São Sebastião. Posteriormente, há planos de expandir a mentoria do HCB para o Hospital Regional de Planaltina e novamente para o Hospital da Região Leste. “Queremos que a criança seja melhor manejada já no primeiro atendimento para que, quando chegar à UTI, tenha menos riscos, menos tempo de internação. Quanto mais apropriado o primeiro cuidado, melhores os desfechos que podem ser alcançados”, diz Valdenize Tiziani.

*Com informações do HCB

Fonte: Agência Brasília