- PUBLICIDADE -
13.6 C
Distrito Federal
- PUBLICIDADE -

SE reforça grupos reflexivos para homens autores de violência contra a mulher

A Coordenadoria da Mulher do Tribunal de Justiça de Sergipe (TJSE) realizou reunião com a Faculdade Estácio, em 22 de julho passado, para discutir o convênio que já mantém desde 2015 para a oferta de grupos reflexivos destinados a homens autores de violência doméstica e familiar contra a mulher. “A primeira reunião com a Faculdade Estácio foi muito esclarecedora sobre a forma como estão sendo conduzidos os grupos reflexivos e os bons resultados alcançados”, contou a coordenadora, juíza Rosa Geane Nascimento.

Psicóloga da Coordenadoria, Sabrina Duarte afirmou que mais de 400 homens já passaram pelos grupos reflexivos da Faculdade Estácio. “Dados mostram que a reincidência processual entre os homens que participam dos grupos reflexivos cai de, aproximadamente 60% para 2,5%.”

Sabrina Duarte explicou que a parceria será retomada em breve. “Confiamos muito no trabalho realizado pelo curso de Psicologia da Faculdade Estácio e, por isso, estamos renovando o convênio. Só precisamos formalizar algumas questões, como a data de início dos grupos reflexivos, para que seja informada às Varas e Juizado de Violência Doméstica, que encaminham os homens para os grupos.”

“Na primeira semana de aula, os alunos se inscrevem nas áreas que desejam estagiar e assinam os termos de estágio. Na semana seguinte, entram em supervisão. Nossa previsão é que os grupos reflexivos sejam iniciados a partir de 20 de agosto”, explicou o professor Igor Soares Vieira, do curso de Psicologia da faculdade.

Melhorias

Além do encontro com representantes da Faculdade Estácio, a Coordenadoria promoveu reunião, no dia 26 de julho, com o Juizado de Violência Doméstica e Familiar de Aracaju, a comarca de Estância (SE) e o Centro de Apoio Operacional dos Direitos da Mulher do Ministério Público de Sergipe. “As demandas apresentadas pela Faculdade Estácio e pelos integrantes do sistema de Justiça serão examinadas e encaminhadas pela Coordenadoria da Mulher. É muito importante a interlocução, as avaliações e os ajustes nos serviços prestados”, afirmou a juíza Rosa Geane.

A coordenadora da Mulher registrou que participou de encontro na Câmara Municipal de Estância para propor a implantação da Patrulha Maria da Penha. Segundo a magistrada, Estância é uma das cidades do interior do estado com maior contingente na Guarda Municipal. “Tem quadro de pessoal e tempo de serviços prestados suficientes para promover a especialização dos serviços com a implementação da Patrulha Maria da Penha, conforme indicação do Presidente da Câmara Municipal. Esperamos contar com a sensibilidade do Prefeito Municipal de Estância para a criação urgente desse excelente serviço.”

Fonte: TJSE

Fonte: Portal CNJ – Agência CNJ de Notícias

- PUBLICIDADE -

Continue Lendo

Comentários

- PUBLICIDADE -

Últimas Notícias

- PUBLICIDADE -